O Sebrae iniciou uma campanha super bacana que incentiva as pessoas a comprarem dos pequenos e médios negócios brasileiros. E que é muito positiva por incentivar as pessoas a comprarem do pequeno mostrando os vários benefícios deste ato, como: a facilidade de comprar perto de casa, incentivar a economia local, o desenvolvimento da comunidade e a empregabilidade.

Nestes primeiros meses morando em São Francisco pude observar nas ruas, nos supermercados, restaurantes, bares e outros estabelecimentos como os americanos preferem comprar produtos que são fabricados dentro do país. E muitas vezes, priorizam produtos de dentro do Estado da Califórnia. A variedade vai desde produtos para casa, comida e bebida, a todo momento os consumidores preferem as marcas locais, pequenas e com uma qualidade muito maior do que as oferecida pelas grandes empresas - aquelas que produzem em grande escala e baixa qualidade.

Vivemos em um momento no Brasil onde as (10) famílias mais ricas são as que dominam o mercado interno com as maiores corporações (bancos, cervejarias, televisão, construção, alimentação, etc) e, mesmo diante dos atuais desafios na economia mundial, elas obtiveram um lucro gigantesco no ano de 2014. Mas por quê?

Fácil: estamos na base da pirâmide. Somos nós, meros cidadãos brasileiros, que sustentamos todo o sistema. E quem controla esta pirâmide são eles mesmos. Orquestrando notícias na mídia tradicional diariamente para realizar manobras, em parceria com os seus "representantes" no governo, que fecham contratos com as mesmas empresas construtoras todos os anos. Esses que tiveram suas campanhas financiadas com dinheiro privado.

Sabemos que existe algo muito errado neste sistema, que não funciona para a população. Mas nem por isso precisamos desistir do Brasil. Existe uma saída, sim! E é essa pontinha de esperança que me faz ficar empolgado ao ver empreendedores dos mais diversos campos inovando e prosperando de alguma forma.

Se tem um futuro próximo onde vejo um Brasil de progresso, desenvolvido e que consiga distribuir as suas riquezas entre a população, de uma forma justa e próspera, este é o País que empreende, que enfrenta os mais diversos obstáculos para abrir um negócio e inova localmente, com as suas características, cultura e focando sempre na felicidade do cliente.

Não podemos negar que o dinheiro é um dos objetivos do negócio. O lucro é essencial para qualquer empresa. Seja ela um banco ou um salão de beleza. Todos nós queremos prosperar. Queremos uma casa própria, queremos viajar, queremos educação, saúde e segurança para os nossos filhos. Mas não adianta ter todos esses desejos se você continua comprando produtos e serviços dos grandes.

Chegou a hora! Prevejo os próximos anos onde o nosso País irá mudar drasticamente, as grandes empresas irão perder força e darão espaço para as pequenas e médias empresas locais, inovadoras e que estão lutando fortemente contra obstáculos burocráticos e fiscais para realizar um trabalho que faz a diferença para a sociedade. E esta revolução não será televisionada.

Ao almoçar fora, prefira um restaurante de bairro. Evite as grandes redes de fast food. Lembre-se da cerveja que você toma: além do milho transgênico que é usada para produzi-la em alta escala, ela não tem qualidade. Experimente novos sabores, novos serviços, novos lugares. Isso fará com que quebremos um grande paradigma de que os pequenos não possuem qualidade e de que as grandes empresas oferecem alguma segurança por serem conhecidas, o que não é verdade.

Fique atento aos aplicativos. Tudo será mobile. Vamos acompanhar as discussões para o desenvolvimento das redes de internet no País. Vamos lutar para mudar as mais de 250 leis restritivas de antenas existentes que impedem a distribuição de sinal para os celulares. Vamos juntos integrar as escolas, os professores, pais e alunos, distribuindo a inovação e identificando novos talentos nas universidades, integrando também as prefeituras, assembleias, congresso e o governo todo. Porque o governo (municipal, estadual e federal) é nosso e não "Deles".

Estou trabalhando para isso e sou um destes empreendedores que quer mudar o País com os seus serviços. E posso falar? Já estou vendo a mudança. Por mais difícil que seja nestes tempos onde só aparecem notícias ruins na mídia tradicional.

E você?

#CompreDoPequeno

Gustavo Santiago @gustavosanti

Feed não encontrado